Sincoverg

Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários no Transporte de Passageiros, Urbano, Suburbano, Metropolitano, Intermunicipal e Cargas Próprias de Guarulhos e Arujá em São Paulo

Guarulhos, 23 de Setembro de 2017

Por condutores

Confira os motivos por que os trabalhadores cruzaram os braços

Veja abaixo alguns exemplos que o governo tenta modificar com essa reforma nefasta:

IMG_7739

Remuneração por Produtividade: Com a reforma será permitida o pagamento do salário por horas trabalhadas. Exemplo: Seu chefe te chama para trabalhar 3 horas em uma semana, 2 horas na outra semana, 1 hora na outra e mais 3 na última semana e você receberá por 9 horas de trabalho no mês. É o fim do salário mínimo e do piso salarial.

2 Jornada Intermitente: O trabalhador não terá mais escalas, o patrão definirá os dias e horários e pagará apenas pelas horas trabalhadas.

3 Férias: Com a reforma trabalhista aprovada as férias poderão ser dividas em 3 partes.

4 Demissão: A multa sobre o saldo do FGTS será diminuída pela metade, 20% do FGTS e não mais 40%. O trabalhador que sacar o FGTS não receberá o seguro-desemprego.

5 Gravidez: Pela proposta do governo, será permitido que grávidas trabalhem em ambientes insalubres.

6 Terceirização: Com a lei aprovada, os motoristas poderão ser terceirizados, diminuindo ainda mais os salários, assim como professores, médicos etc.

7 Escravidão: Outra proposta do governo golpista é o pagamento de salários por remuneração de qualquer espécie, como moradia ou alimentação e aumento da jornada diária para 12 horas por “motivos de força maior”. Ao final do mês, ao invés de salário, o trabalhador receberá um prato de comida.