Sincoverg

Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários no Transporte de Passageiros, Urbano, Suburbano, Metropolitano, Intermunicipal e Cargas Próprias de Guarulhos e Arujá em São Paulo

Guarulhos, 23 de Setembro de 2017

Por condutores

Governo do Estado de São Paulo queria matar guarulhenses de sede

Não foi por falta de água, mas sim de propósito, que Geraldo Alckmin deixou centenas de milhares de guarulhenses por tantos anos sem água, nem sequer para lavar as mãos

Há muitos anos, mesmo antes da crise na Cantareira, que a população guarulhense sofre com fornecimento insuficiente de água, principalmente nas periferias. Rodízios e interrupções sem aviso prévio já eram “comuns”.

Na primeira semana de sua gestão, tentando emplacar um “choque de gestão”, o novo prefeito de Guarulhos anunciou o fim dos rodízios de água na cidade. Marca de sua eficiência? Não! Porque um problema dessa complexidade não é resolvido com canetada.

É apenas a prova de que o Governo do Estado deixou nossa cidade sem água por anos e anos simplesmente para fazer politicagem.

Não foi por falta de água, mas sim de propósito, que Geraldo Alckmin deixou centenas de milhares de guarulhenses por tantos anos sem água, nem sequer para lavar as mãos.

Foi para engordar os cofres dos investidores da SABESP e para desgastar a administração municipal, que não se alinhava com o Governo do Estado. Graças a isso, o SAAE acumulou dívidas injustas, que ainda por cima serão pagas com dinheiro do contribuinte.

Agora, o governador que fechou escolas, roubou merenda de nossas crianças, superfaturou obras do Metrô, resolve abrir as torneiras para irrigar o governo de seu novo apadrinhado.

O objetivo é fazer politicagem com a opinião pública, manipular o eleitor e tentar esconder que o Governo do Estado de São Paulo em nada ajuda nosso município.

Pior ainda é a mentira deslavada, dizendo que acabou o rodízio de água em Guarulhos.

Nós, que moramos na periferia de Guarulhos, continuamos com o rodízio, mas nem nosso prefeito nem nosso governador se preocupam com os bairros afastados do centro. Importante para a nova gestão é pintar grades do Bosque Maia, o bairro mais rico da cidade.

 

Entenda o caso…

Estudos demonstram que Guarulhos precisa de 4.600 litros de água por segundo, mas a SABESP nunca repassou esse volume de água, ao contrário, diminuia, gradativamente, a quantidade de água.

Em 2013, recebíamos 3.538m³/s, em 2014, 3.192m³/s, em 2015, apenas 2.617m³/s e em 2016, um pequeno acréscimo de 3.030m³/s.

Apesar de vários ofícios encaminhados pelo SAAE, a SABESP continuou penalizando nossa cidade.

Agora, com a nova administração, a cidade recebe 3.500m³/s. O que mudou da noite para o dia para recebermos mais água?

Fonte: www.guarulhosemrede.com.br/saae-mantera-rodizio
www.guarulhoshoje.com.br/2017/01/10/guti-anuncia-reducao-do-rodizio-de-agua
www.guarulhosweb.com.br/noticia.php?nr=167490&t=Rodizio+de+agua+em+Guarulhos+prossegue+apesar+de+reservatorios+cheios