Sincoverg

Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários no Transporte de Passageiros, Urbano, Suburbano, Metropolitano, Intermunicipal e Cargas Próprias de Guarulhos e Arujá em São Paulo

Guarulhos, 24 de Julho de 2021

Por condutores

Foco e união são a chave para novas conquistas

Mesmo diante da maior epidemia dos últimos tempos, uma crise econômica sem precedentes e o ataque a direitos trabalhistas, os trabalhadores do transporte público resistem bravamente.

Companheirada, nossa categoria tem muito que se orgulhar. Temos uma trajetória de conquistas, de união e de poder de mobilização que nos permitiu ir muito além do que a maior parte das classes trabalhadoras. Fruto de nosso esforço, nosso empenho, nossa transparência. Em um momento em que a precarização do trabalho virou política de estado, em que busca-se enfraquecer sindicatos de todas as formas e limitar o poder de mobilização dos trabalhadores, nós conseguimos resistir bravamente. Mantivemos direitos trabalhistas e benefícios mesmo diante da maior epidemia dos últimos anos, que só no Brasil já ceifou a vida de mais de 250 mil pessoas.

Soma-se a isso uma das maiores crises econômicas, com os itens de primeira necessidade para a maior parte da população tendo aumentos absurdos, muito além da inflação oficial. Ou seja, as classes mais pobres estão sendo as mais prejudicadas. E diante disso, além de lutar por emprego e renda, ainda tivemos de lutar pela vida, devido à alta contaminação do vírus. E é nesse cenário que iniciaremos mais uma campanha salarial, e tenho a certeza de que teremos a mesma força e entusiasmo de sempre, a mesma mobilização, para vencermos mais uma vez as adversidades.

Sendo atividade essencial, nós do transporte público sempre estivemos na linha de frente ao Coronavírus, expondo diariamente nossas vidas. Por isso defendo a inclusão de nossa categoria no grupo prioritário para receber a imunização e estamos fazendo esforços para que esses trabalhadores recebam a vacinação para poder desempenhar suas atividades com mais tranquilidade.

A ameaça do vírus está longe de terminar, pois não houve articulação para que o país, que é referência em vacinação, pudesse imunizar de forma mais acelerada a população. E eu sou testemunha da gravidade do problema. Apesar de seguir os protocolos de segurança, devido à atividade que desenvolvo, tanto como vereador como à frente do sindicato, acabei contaminado duas vezes pelo Coronavírus. Se da primeira vez os sintomas foram mais leves, na segunda os efeitos foram muito mais severos.

Por isso continuo sendo um defensor das medidas de prevenção, como isolamento social, e a utilização de máscaras e álcool em gel. Mesmo diante da campanha salarial, nossa maior luta é pela segurança dos trabalhadores, pela vida. Cuidem-se!