Sincoverg

Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários no Transporte de Passageiros, Urbano, Suburbano, Metropolitano, Intermunicipal e Cargas Próprias de Guarulhos e Arujá em São Paulo

Guarulhos, 01 de Abril de 2020

Por condutores

Hashtag #BolsonaroGenocida alcança topo de acessos no Twitter contra MP de Bolsonaro

Até às 15h, 100 mil mensagens foram postadas na rede social repudiando medida apresentada por presidente contra trabalhadores

Contra a Medida Provisória (MP) 927/2020 de Jair Bolsonaro que, entre outras ações, permite às empresas suspender o contrato de trabalho de seus funcionários por até quatro meses, libera aumento da jornada de trabalho e exclui sindicatos da negociação de direitos, a hashtag #BolsonaroGenocida alcançou nesta segunda-feira (23) o primeiro lugar dos Trending Topics (assunto mais citado) do Brasil.

Até às 15h, o assunto já havia sido comentado em 100 mil mensagens na rede social, com crescimento a cada minuto.

Além das críticas à postura de Bolsonaro na calada da noite de domingo (22), quando a medida foi divulgada, as pessoas também comemoram revogação de um item da MP, como resultado da pressão em rede, mas exigem a exclusão completa da medida e a devolução pelo Congresso Nacional, que pode barrar ou aprovar em até 120 dias a proposta.

“Não há dúvida que foi a mobilização popular nas redes sociais somada à oposição política contra esta medida que fez o Bolsonaro agora revogar um item. Mas isso não é suficiente diante dos inúmeros prejuízos aos trabalhadores e ao país que esta MP apresenta. O governo se aproveita de um momento difícil vivido pelos brasileiros diante da pandemia do novo coronavírus para retirar direitos”, afirma o secretário de Comunicação da CUT-SP, Belmiro Moreira.

Nesta segunda (23), entidades sindicais e movimentos sociais ligados às frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo mobilizam as redes sociais chamando também para o uso da hashtag #DevolveMP, exigindo que os presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, respectivamente, barrem a medida assinada pelo presidente da República.

Um “barulhaço” nas janelas contra Bolsonaro também está sendo convocado para as 20h30.

Repost: CUT