Sincoverg

Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários no Transporte de Passageiros, Urbano, Suburbano, Metropolitano, Intermunicipal e Cargas Próprias de Guarulhos e Arujá em São Paulo

Guarulhos, 13 de Novembro de 2019

Por condutores

Passagem cara significa a falência do transporte coletivo!

Há tempos que temos denunciado essa prática, onde o aumento das passagens promove, cada vez mais, o transporte individual.

Com o enfraquecimento do transporte coletivo, quem paga a conta (sempre) são os trabalhadores

À primeira vista, pode parecer loucura. Mas você já se perguntou quem financia o sistema de transporte coletivo?

Mais que transportar as pessoas para o trabalho, o transporte coletivo possibilita o acesso à cidade, seja de uso para trabalho, educação, lazer etc.

A política de controle de inflação e de incentivos fiscais, por exemplo, tornou o uso do transporte individual mais barato que o coletivo. Não à toa, tivemos aumento considerável na aquisição de automóveis e, consequentemente, no trânsito.

Para se ter uma ideia, em 20 anos o transporte coletivo subiu (o custo da tarifa) em 685% e as despesas com carro, 158%*.

Para o transporte coletivo, os investimentos não cresceram na mesma intensidade, falta corredores exclusivos para os ônibus, falta asfalto decente e espaço para manobras mais difíceis, falta interligação com o Metrô, e, principalmente, falta valorização dos condutores e cobradores, que, mesmo com os aumentos das passagens, vê o lucro do patrão aumentar e seu trabalho cada vez mais precarizado.

Essa é a lógica do capitalismo: Lucrar em cima de quem produz.

É por isso que temos um transporte coletivo ruim, salários defasados e uma tarifa tão cara.

Se sairmos de nossa categoria verificaremos que essa lógica também se aplica em outras, na Vale do Rio Doce, por exemplo, acumulava alta de 258% em ações desde o desastre em Mariana e, mesmo assim, continuaram precarizando a vida do trabalhador, causando outro desastre, agora em Brumadinho. Você dúvida que outro desastre acontecerá novamente? Infelizmente essa é a lógica.

Nossa missão, enquanto entidade sindical, não é de melhorar o transporte coletivo, mas diminuir esse enorme abismo que há entre o TRABALHADOR e PATRÃO.

Temos avançado em diversas conquistas, mas nunca foi fácil e, nesse ano que se inicia, precisaremos mais uma vez nos unir.

Será somente com a união de toda categoria que alcançaremos nossos objetivos.

Assim como no transporte, a resolução de nossos problemas se dará no coletivo. Individualmente você pode ser mais rápido, mas, JUNTOS, vamos muito mais longe.

Só a luta organizada muda a vida!

Orlando Maurício Jr. – Brinquinho
Presidente SINCOVERG
*Fontes: O Globo; Ipea; Dieese, CBN