Sincoverg

Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários no Transporte de Passageiros, Urbano, Suburbano, Metropolitano, Intermunicipal e Cargas Próprias de Guarulhos e Arujá em São Paulo

Guarulhos, 06 de Dezembro de 2022

Por condutores

Qual a vacina contra o ataque aos direitos do trabalhador?

O voto consciente é a vacina para aumentar a defesa às conquistas e ter representantes dos trabalhadores no Congresso e assembleias legislativas

Chegamos ao fim de mais um ano. Foi um dos mais difíceis que passamos. Da esperança de dias melhores em 2021, vimos o número de vítimas da Covid aumentar, reflexo do descaso, omissão e negacionismo do governo federal. Hoje, o Brasil, referência em vigilância sanitária e vacinação, infelizmente ostenta a marca de mais de 615 mil mortes na pandemia. É o segundo país no mundo nesse ranking macabro. Um verdadeiro genocídio.

Mas mesmo com todas essas dificuldades e as revelações de como o governo trabalhou contra a imunização, as vacinas trouxeram nova esperança. O número da mortalidade começou a cair drasticamente e nos trouxe esperança de volta à normalidade, de um Ano Novo mais próspero.

Nossa categoria, que atua na linha de frente da Covid, como serviço essencial, resistiu bravamente. Conseguimos afastar temporariamente do trabalho aqueles do grupo de risco e, assim, preservar vidas. Travamos uma dura batalha para conseguir incluir os trabalhadores do transporte público entre os profissionais com prioridade para receber a imunização. Foi mais uma conquista, além da manutenção de direitos e empregos.

Em breve estaremos em mais um ano, com esperanças renovadas. Mas sabemos que teremos adversidades. É preciso espírito de luta e união, como sempre.

Aliada às novas expectativas trazidas pela vacina, também entramos em período eleitoral. Sabemos o quanto os direitos dos trabalhadores foram atacados e que isso é fruto da falta de representantes das classes trabalhadoras, para defender os interesses da população. Teremos uma vacina em nossas próprias mãos para combater o vírus que corrói nossos direitos: o voto.

Graças à imunização este Natal e Ano Novo serão de reaproximação com amigos e familiares e poderemos nos reunir com mais tranquilidade. Mas é preciso consciência e evitar excessos e aglomerações.

Que seja uma época de reflexão, para que no próximo ano estejamos preparados, unidos e determinados a mudar os rumos do país, para um futuro próximo de conquistas, com representantes do povo ao nosso lado.

Feliz Natal e bom Ano Novo para todos e todas.